Mural Verde apresenta...

Minha foto
Salvador, Bahia, Brazil
...sou aquilo que me der na telha e que se assemelha ao que você bem entender. (Jay Vaquer)
quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Fatalmente...

Fatalmente ou não
Passo bem sem pegar na sua mão

Não sei se fiz mal ou se fiz bem
Mas hoje eu passo bem sem ninguém

Pode sambar na minha cara
Já sei sambar sozinha
E o seu samba eu já conheço

Não sei porque não
Ou porque sim
Mas hoje sou sozinha assim

Fatalmente
Vai doer enfim
Mas eu não temo mais o fim

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Uma história de coragem e desejo

Éramos fantasia apenas
Como uma história inventada
Daquelas que a gente pinta o final

Só que dentro de nossos quartos
Tínhamos medo de errar
A gente não tinha pena dos neurônios
Nós precisávamos tentar

De tão Sonhadores natos, tolos
Esquecemos da vida real
Nem um pouco sensatos
Não pensamos que nesse conto
Deveria ter um final

Precisávamos dar lugar
Pra cabeça esfriar
Ter certeza de tudo
Pra então lembrar:
“Isso não se trata de sonhar.”

O sonho se foi nos poemas
Nas noites em claro
Nos beijos calcados de desejos

Essa aventura nos transformou em segredo
Mas não é o segredo que não se diz por medo
Esse segredo é o sonho de quem tem as chaves
Quem idealiza e realiza a idealização
De quem ama sem medo
De quem regra o receio
Pra não atrapalhar a viagem da emoção
Foi ouvindo os nossos sonhos
Não menos medonhos
Que hoje nos propomos continuar a vida
Com coragem de sonhar
terça-feira, 29 de outubro de 2013

...

29 out 2013
Terça
23:00

- Hoje não fiz nada de útil.
- Tem dias que estamos assim mesmo...
sem ânimo... sem vontade e coragem...
- Ou simplesmente vagabundagem.

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Minh'alma




Minh'alma chama por socorro
Pede, por favor, pra sair desse lugar
Pede pra chegar onde não há
Tanta malandragem
Tanta mentira
Tanta mesquinhagem

Minh’alma quer sossego
Quer distância de todo exagero
Quer ausência de religião
Quer ausência de tudo que é normal
De tudo que é padrão

Minh’alma tem sede
De liberdade
De ver o sol se pôr
De falar a verdade
De um amor sem vaidade

Minh’alma quer na varanda  se sentar
Ver o dia clarear
Enquanto o vapor quente do café
Desmancha-se pelo ar...

Minh’alma quer acreditar
Nas atitudes boas da vida
No sacrifício de toda subida
No desejo de todo ser apaixonado

Minh’alma quer ver o sol se por
Enquanto o sono vem
Junto com um livro que se lê bem
Na hora de dormir
domingo, 27 de outubro de 2013

Ainda

Ainda lembro
Ainda leio
Ainda que seja cedo
Ainda que seja tarde
Não sabemos ainda
Eu diria que é cedo e tarde
Ainda que você possa dizer o contrário
Entre nós ainda...

Essa tarde despreocupada

Passei a tarde comigo
Conversando com meu sono e o meu umbigo
Concordamos em sentir o vazio
Concluimos que a falta que a falta faz
Não faz tão mal assim...
Continuo sentindo sono
Continuo sentindo fome
Lendo livros
Ouço os pássaros a cantar...
Sinto o calor do sol
A chuva ainda me molha
É...
Tá tudo bem.

A dinâmica de sua transferência

Transfere tudo
Passa tudo pra lá
Finge que não aconteceu nada
E inventa um novo lugar
Hipocritamente
Pateticamente
Se põe a negar
Que houve algo mais
Mas logo logo
Estarás  a migrar
Outros diriam pra fugir

Eu diria:
deixa entrar...

Seguidores